Notas biográficas e conceituais

Alfried Hagedorn, nascido em Bremen em 1940, exerce uma pintura abstrata com tendências líricas, gestuais e construtivas; bem como projetos de plástico.

Ele estudou na Escola de Arte de Bremen e nas Academias de Belas Artes de Viena e Munique, com Jean Deyrolle e Raimer Jochims, formou-se com um diploma e ensinou durante um ano como professor na Academia de Belas Artes de Munique. Ele então foi para a Academia de Artes em Kyoto (Geijutsu Daigaku) no Japão por dois anos e meio com uma bolsa de estudos do DAAD e do governo japonês (Mombushô). Desde 1975 trabalha como freelancer em Munique. De 1976 ele ensinou 8 anos como professor na Faculdade de Design em Aachen e um ano no Salzburg College, Universidade de Illinois. Já em tenra idade, Hagedorn estava interessado em culturas estrangeiras, o que se desenvolveu em um forte compromisso intercultural ao longo do tempo. Em 1980 ele foi premiado com o “Prêmio Lírio de Água” da cidade de Munique e em 2018 ele recebeu uma bolsa da Fundação do Presidente Alemão.

Desde que Hagedorn deixou de trabalhar com os “Campos de Energia” em 1978, ele chamou sua pintura de "Pintura Aberta" *. O planejamento é recuado para criar espaço para o inconsciente. Essa pintura é ambígua ou indissolúvel, até enigmática. Portanto, não oferece ao espectador interpretações claras e apressadas e mantém sua visão na balança. Assim, a energia visual da imagem é preservada para o espectador e ele pode permanecer atento na presença. No centro da pintura de Hagedorn está a luz, a cor, a transparência. Ele domina fortes contrastes e sutis transições de cores, densidade e resolução, além de lidar com o vazio e a abundância, o próximo e o distante, a Terra e o cosmos. Assim, as formações se movem em um relacionamento positivo e negativo entre si, como objeto e espaço. Eles são um elemento de apoio de sua pintura. Assim como a ideia de permeabilidade e não-reclusão da imagem. Porque a perfeição é conclusão, fim, morte. Não por último, as partes que sobraram do fundo branco, na borda da imagem e no evento pictórica, aludem ao ruído de fundo do espaço exterior. Espaço do imagem e espaço exterior se encontram. Envergaduras (spans) se tornam visíveis. A percepção aberta das imagens leva a conhecimentos visuais, como reconhecimento e compreensão dos fenômenos visuais, sua natureza, estrutura e efeito. O impulso recebido, portanto, expande e excede a visão cotidiana.

As obras de Hagedorn estão em coleções particulares e públicas. Ele tinha, exceto na Alemanha, exposições no Japão, China, Tailândia, Hong Kong, América do Norte e Brasil. Ele trabalha em Munique, Alemanha e Paraty, Brasil


* Veja: Umberto Eco, Hans-Georg Gadamer, Byung Chul Han, François Cheng etc.

Chronologia

1940
-
Nascido em 7 de outubro em Bremen, Alemanha
1962/64
-
Estudou na Escola de Artes, Bremen e
1962/64
-
na Academia de Belas Artes de Viena
1965/71
-
Academia de Belas Artes, de Munique, diploma
1971/72
-
Assistente na Academia de Belas Artes de Munique,
1972/74
-
Bolsa de estudos do Governo Japonês ( Mombushõ ) e do DAAD
( Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico ) para o Japão, Academia de
Artes, Kyoto ( Kyoto Geijutsu Daigaku )
1974
-
Viajando pela Tailândia, Sri Lanka e Índia
1980
-
Recebe o “Prêmio Seerose" por pintura da cidade de Munique
1980/81
-
Primeiro estúdio em São Paulo
1982/83
-
Segundo estúdio em São Paulo e viagando por Brasil, Bolívia e Peru
1983
-
Curadoria em nome do Secretária Cultural de Munique da exposição
“Singular-Plural, München . Rom . Paris“, Fábrica Lothringer 13
( cooperação Gaya Goldcymer e Max Reithmann )
1985
-
Primeira volta ao mundo via Singapura, Indonésia, Hongkong, Taiwan, Japão e América do Norte
1986
-
Segunda volta ao mundo via Bangkok, Hongkong,
Guangzhou ( Kanton ), Japão e América do Norte
1987/88
-
Permaneça em Guangzhou, Bangkok e Hongkong e
viagem pela PR-China e Japão
Realização da 1ª exposição de pintura abstrata na PR-China após da
abertura do país no Instituto de Belas Artes, Guangzhou (Cantão),
(cooperação Instituto Goethe Hongkong) e
1989
-
Minzugong ( Palácio Cultural das Nacionalidades ), Pequim/ Beijing
( cooperação Embaixada Alemã Beijing e
Associação de Design e Exhibição da China )
Viajem para Canberra e Sydney, Australia
1990/92
-
Estadias em Paraty-RJ
1991
-
Estadia em Nova Iorque, Tóquio e Kyoto
1993
-
-
Monta estúdio em Paraty-RJ
Funda a "Edição Transatlântica, Munique · Paraty
1999
-
Inauguração do espaço de exposição em Paraty
2007
-
Abertura do “Espaço o Cubo” em Paraty
2011
-
Novo estúdio em Paraty-RJ
2018
-

 
 

* Vive em Munique, Alemanha

Docéncia

1971/72
-
Academia de Belas Artes, Munique
1976/84
-
Colégio de Arte e Design, Aachen
1984
-
Universidade do Norte de Illinois, Colégio Salzburg